Regra de ouro para e-mails

Fazer um bom e-mail hoje em dia é uma arte, digo isso porque se a sua mensagem é muito curta você vai soar rude, ao passo que, se for muito longo, ninguém vai lê-lo até o fim. Então, qual o tamanho ideal para um e-mail???
Um e-mail deve ter o equilibrio entre a objetividade e a educação e/ou enrolação. E-mails longos não são lidos na totalidade e se são, geralmente ficam sem resposta.
Eu, pessoalmente, tenho paura de uma caixa de mensagens com mais que 1 dezena de mensagens não lidas, mas tenho alguns marcadores para separar algumas mensagens que são muito longas e que deixo para “analisar” mais tarde.
Menos de cinco sentenças é muitas vezes ser muito conciso e soar rude para o destinatário (lembre-se que comunicação não é o que você fala/escreve, mas o que o outro entende), mas mais de cinco frases pode fazer a outra ponta achar que é desperdício de tempo.
A chave é entender se esperamos que o destinatário tenha que tomar alguma ação com base nas informações da mensagem. Se assim for, essa ação – e sua motivação – devem ser o mais clara possível no corpo da mensagem. Tenha em mente que na outra ponta tem uma pessoa extremamente ocupada e que irá gerenciar o tempo com a sua mensagem, seja importante ou trivial, pelo quão fácil é resolver a questão. Se a mensagem for complexa, você não vai obter uma resposta.