Money, money, money

Fim-de-ano e as empresas começam a preparar o fechamento contábil de 2012 e assim como elas, as ta é uma boa hora para as pessoas físicas também prepararem um “Balanço Financeiro” – Guardadas as devidas proporções, claro.

Esta é uma extremamente útil que ajuda no planejamento para o próximo ano e evita que você fique “administrando fundos de terceiros” e vendo boa parte da renda indo para os juros. O primeiro passo para isso é preparar um orçamento anual com as despesas e os rendimentos, indicando a periodicidade de cada evento (semanal / mensal / trimestral / Semestral / Anual) e por categorias (Carros / Alimentação / Casa / Saúde, Educação / Roupas / Presentes, etc).

Um jeito fácil de realizar isso é usando uma planilha ou um programa, e neste quesito eu recomendo o http://www.financedesktop.com.br/

Além do orçamento outras atitudes são extremamente positivas para o controle financeiro e devem ser seguidas:

PARE DE CAVAR

Lembrem-se a primeira providencia a fazer ao se chegar ao fundo do poço é parar de cavar. Antes de mais nada é necessário se livrar das dívidas. Este é um bom momento para isso aproveitando o 13 salário.

Os desafios de Janeiro e Fevereiro

O ano mal começou e boa parte do dinheiro começa a evaporar… Janeiro e Fevereiro são meses chaves para a manutenção do controle ao longo do ano, pois logo de cara temos IPTU, IPVA, Material Escolar, Matrícula da Escola, e por ai vai.

O ponto aqui é aproveitar o 13 que sobrou das dívidas e se planejar para pagar o máximo destes itens à vista (Inclusive a escola dos filhos, se possível). Veja que não há nenhum investimento (seguro) que irá lhe dar um retorno maior que o valor dos descontos concedidos, além disso, é melhor do que carregar dívidas logo de largada no ano.

Aproveite a bonança para enfrentar a tempestade

Com as contas equilibridas o próximo passo é definir o destino deste dinheiro. Eu recomendo que a primeira prioridade seja a criação de um fundo de reserva, no valor aproximado de 1 salário. Este fundo deve ficar em uma aplicação de fácil resgate (Uma poupança, por exemplo) e deve ser usada em casos de emergências para evitar a entrada no cheque especial ou no rotativo do Cartão de Crédito.

Com esta reserva constituida é hora de ajustar o orçamento para contemplar um valor fixo para a aponsetadoria e o jeito mais simples é fazer uma previdência privada (Você pode investir no Tesouro Direto também. Estude e veja a opção que o deixa mais confortável). Lembre-se este dinheiro fará parte do seu orçamento e deve ser considerado um custo mensal e não deve ser cortado das contas para compra de itens.

Isto feito é hora de analisar e identificar qual o seu próximo desejo… Um carro novo? Uma viagem? Um MBA? Seja ele qual for, é importante se planejar e começar a separar parte do dinheiro para a sua realização, em uma outra poupança talvez, até que a realização do desejo seja possível sem que você destrua tudo o que contruiu até aqui e fique novamente pendurado em dívidas.

Fazendo isso ao final do ano você poderá fechar o seu “balanço” e poderá avaliar quanto o seu carro consome de dinheiro, quanto foi gasto em telefone, luz e água e com isso planejar melhor a destinação dos recursos, inclusive pensando em realizar investimentos para obtenção de mais recursos, iniciando um círculo virtuoso.

Então, mãos à obra?